É o que tem pra hoje

Eu tenho um violão. Toco toscamente duas ou três canções inteiras. Mas dedilho uma sequencia de acordes, acrescentando um sol maior há tantos anos, que esses acordes, como harmonizados, já se tornaram sinônimo de minhas mais profundas interiorizações. Eu pinto uma tela. Toscamente. Lambuzo pincéis com as cores que me dão, lambuzo minhas mãos com […]

48 Anos

Faltam dois pra meio séculoE pra terminar, quantos faltam?Rogo breve sejaSerá há muito a fazer?Árvore já plantadaArrancaram-na! Arrancaram-me!Livro escrevinhadoPublica! Publica! Publica!Filha viça forteSim, há muito a fazerMadrugada adentraPulo trinta pra trásNada se compara a Sinéad O’ConnorPelo curto, gota salgada, pele brancaImito-a num gracejo com colega de casernaDe livro a Astrid na MTVGuns And Roses, Extreme, […]

Pró

Olha como sou lindo! Olha como sou lindo! Viu o que eu fiz?Pra você, pra ela, pra todo mundoA humanidade agora é outraEstá melhor. Bem melhor! Sabe por que? Porque eu fizSou mesmo lindo!Não fiz pra mimFiz para o mundoMas… que mundo?Meu mundo, oras!Não fiz pra vocêFiz pra mimNão basta fazerÉ preciso usarNão basta ser […]

O poste de ouro

Ninguém reparou quando aquele homem sereno varava noites com a cabeça encostada em um poste como judeus no muro das lamentações. Ninguém quis saber que substâncias eram aquelas que ele, delicadamente, passava nas mãos e esfregava no poste com as pontas dos dedos. Ninguém, nenhum passante despreocupado, nem velhos sem trabalho ou turistas embasbacados com […]

Brasil

Acordei de sonoFui me olhar no vaso Escovei as orelhas Penteei os olhos Lavei os dentes E mijei no espelho Percebi que não ouvia, nada ouviaLavei melhor meus cabelos Liguei a geladeira Eram tantos universitários Erguiam medalhas, ostentavam diplomas O presidente atrás das grades Bradava homofoprérios Aquele outro em seu palácioLamentava sua penaE brandia suas […]

Sol Violeta

O que diria se fosse ouvido?O que ouviria se fosse verdade?Ocaso vem como bênçãoQuando manhã de dúvidaDe sonhos enlameadosE portas entreabertasPrometem manifesto intransigentePermeando toda levezaOcultando toda sapiênciaLá fora a natureza bailaEntre carros, gritos e gradesLá, mais adianteOuve-se um berro alegreGargalhadas extasiantesOlhos nos olhos, verdadesLá, mais adianteHá leite, mel e outras doçurasEstendo a mão: – Vem!Vamos […]

Soberba Cavalar

Bastasse povo acesoDonde fresco ardume não mais háMenino troncho endireitavaTanto de boca feroz cantarolavaGanhe-se mundo menino!Daquele gira mundo agasteadoBastasse mansa soberbiceOculta em fossa, crianciceNadando em poça de branduraPoça de rato, porco e orelha desouvidaDonde mais há solidãoSenão é não, se não murcho tudo não fosseTal dizer de verdadeiroBastasse pouco menos credoDiacho de tempo ruim!Diacho de […]

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter