+55 (11) 97767-0350
maragataba@gmail.com

Categoria: Prosa

maragataba

Infernos

Foi num dia qualquer do ano de 1992 que senti pela primeira vez a sensação de morte iminente. Meu coração vai parar agora!! Vou morrer!! Como será? Sentirei dor, angústia, aflição? Sentirei… futuro do presente. Não! Não “sentirei”. Já estava sentindo quando tinha medo de sentir. E sentia dor, angústia e aflição. Sinto ainda. A…
Leia mais

Bicho pegando

Tem bicho pegando É o número 10 É sempre o danado Que vem com porquês Nem deu meio-dia Nem deu a ressaca Nem deu uma esmola Nem deu atenção Nem deu pra ficar Vendo cara feia Ouvindo lamento De peça perdão Escala de medo De 1 não tem mais Se brota vem forte Me bota…
Leia mais

Cair

Sinto-me num limbo de “nunca mais”. Quero rir alto, gritar, voar… Mas ultimamente um sonho me persegue, nem sei se estou acordado ou dormindo, mas vejo um pássaro despencar pelo céu com as asas amarradas junto ao corpo. Não é o mesmo que um pássaro numa gaiola de onde não pode sair, mas um pássaro…
Leia mais

Felicidade

Felicidade. Quando penso nessa palavra imagino uma multidão vendada correndo de um lado pra outro com as mãos estendidas, como num jogo de cabra-cega. Nessa busca se esbarram e tropeçam umas nas outras, se machucando. Umas correm tanto e pra tão longe que terminam por despencar num precipício de onde nunca mais saem. Outras ficam paradinhas tentando…
Leia mais

Sonho

Em Itatiba, pôr-do-sol De um lugar alto Rodas me conduziam Skates, patinetes, bicicletas Brinquedos de criança Não sei… Numa das mãos a câmera Noutra minha vida Desci veloz pelas avenidas O sol alaranjava os prédios A tarde estava linda, tão linda Eu pendia pra um lado Medo Entre carros e motos Rodas e câmeras É…
Leia mais

Domingo

Domingo de chuva, na varanda, tomando um vinho barato, escrevendo memórias, ouvindo Vivaldi, roupas balançando no varal e uma cachorrinha amorosa tentando se aninhar ao meu lado. À minha frente um telhado molhado, lá na rua amendoeiras masoquistas, prontas para se despir de suas folhas largas e enfrentar o inverno com galhos nus. Um cinza…
Leia mais

Cabeça de vento

Incendiei Os Lusíadas. Que lindas chamas! Que fogo me saiu! Não conhecia mesmo Camões, que se dane! Nunca tive um momento de afeto com ele, nem mesmo em minhas lembranças. Já com uma edição de Dom Casmurro fiz um calço pra uma mesa que mancava feito minha vida. Acabaram-se duas angústias: a mesa parou de…
Leia mais

Insônia

Em seu harém de jovens púberes
O rei do mundo padece…

Diferenças

Enquanto houver dia, noites e breves milênios, e o sol de cada manhã der à luz a esperança do anoitecer…

Raízes e pedrinhas

Raízes alicerçam árvores frondosas que podem dar frutos. Pedrinhas, se atiradas podem ferir. Ferir pouco, dado seu diminuto tamanho. Com pedrinhas pode-se construir castelos. Além de asas coloridas de insetos, arco-íris formando-se em pequenas quedas d’água e mil formatos e cores de folhas, um artista me mostrava pedrinhas arredondadas, coloridas, achatadas que andavam sobre as águas e raízes…
Leia mais