Azul e Eu

“Como num conto de fadas cibernético, o gigante colorido de antena cor-de-rosa anseia por adentrar ao mundo azul. A única barreira é um finíssimo véu que baila com a brisa. Porém, do melancólico olhar gigante, de coração agarrado à liberdade, sob a vigilância de um pequeno capetinha à entrada, rola uma lágrima sanguínea… Ele está…

Continue lendo

Sem título

No princípio eu criei a luz E outras luzes vieram dançar em sua companhia Em seguida criei a ponte E sobre a ponte pus a prova a existência da luz Criei chorando o riacho E desejei sua seca a provar a própria criação Criei seres, monstros mulheres E vi negros vultos cambaleando pela ponte Decompus…

Continue lendo