Azul e Eu

“Como num conto de fadas cibernético, o gigante colorido de antena cor-de-rosa anseia por adentrar ao mundo azul. A única barreira é um finíssimo véu que baila com a brisa. Porém, do melancólico olhar gigante, de coração agarrado à liberdade, sob a vigilância de um pequeno capetinha à entrada, rola uma lágrima sanguínea… Ele está…

Continue lendo

Osmose afiada

Tome um suco de borboleta Para enfrentar a rata da morcega E a banana? Aleluia! Na colher da mariposa E o pirilampo afogueado Se entregou num êxtase quadrado Sofre guarda maravilha Canela rega seminário Foi em tanta turvidez Outrossim, mas não talvez Fugidio menopausático Em cabeça de pé duplo Onde estou oh dinossauro? Senta aqui…

Continue lendo

Sem título

No princípio eu criei a luz E outras luzes vieram dançar em sua companhia Em seguida criei a ponte E sobre a ponte pus a prova a existência da luz Criei chorando o riacho E desejei sua seca a provar a própria criação Criei seres, monstros mulheres E vi negros vultos cambaleando pela ponte Decompus…

Continue lendo