Vapor de afeto

Te creio tão sólida Feito a Terra na mão Se funde, evapora, some Te bebo feito coisa etérea Te trago, te levo, me traio Em lugar auto amputado Sem não, sei não… Corro esmurrar o que senti(a) Te espero, creio mais não Tão etérea feito colo de viúva Feito dor de alma Desapaixonada Congela Resseca […]

Faz-de-conta

Morreram todos no entroncamento Entre brio e humildade Sucessos são para nada, para ninguém Fracassos, se conhecidos São para rodas de sábios Dias melhores se foram Ficaram noites de angústia Em tempos de faz-de-conta De sorrisos lamentosos De choros contidos E de falsidades imensas Só resta atravessar todo o mar Aportar numa ilusão qualquer Numa […]

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter