Homem

Cansei-me! Ôxe! Filho de bom alagoano Sangue quente, cheio de si Devo não mais hora passar A teto olhar, em bem querer Desarrumo, aprumo, aconteço E sigo sendo muito mais eu Caboclo bom, forte Riso doce, encanto melancólico Feito de intensa dor, intensa paixão Intensidade tal pra qual não há Entendimento alheio Cansei-me! Ôxe! Levanta […]

47

Nasci Por que? Pra que? Expiação Sacanagem, só! Cheguei à luz Atravessei a fenda Respirei o ar fétido De suor, dor e trabalho Foi um parto! Fui um parto! Sou um parto! No movimento eterno Do ar entrando e saindo dos meus pulmões Retiro indulgências, sopros de perdão Afogo esses anos vividos Em lembranças de […]

Minha Casa

Minha casa não tem portão Não tem campainha Chegam sem avisar – Vim fazer uma visitinha! Trazem risos, histórias, paixões Tem horta no quintal Cachorro, gato e galinha Tem barulho de falação Tem silêncio almejado vez em quando Estou no quarto, quieto Lá fora vozes, balbúrdia Alguém entra em meu quarto Senta em minha cama […]

Controle

Houve controle Por onde fui, foram? Por quem está, irá! Ira! Por cargas que se avolumam Por quem não sei Há controle Por menos, por mais Divide-se, multiplica-se E ela ficará só Sem controle Controlo-me Por ela Enquanto por mim Esse total descontrole E angústia!

Vicente

Submerso no chorume de suas inquietudes Afoga dúvidas, ilusões e sonhos Volta à tona, tonto, no fundo há certa paz Esse todo ar o afoga de prazer Mereceria, pois, céu tamanho? Asas e raízes sãs, consanguíneas Mente, ora, só não avilte E no lixo dessas riquezas Na devastadora soberba de seus anseios Nas gretas de […]

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter