Azul e Eu

“Como num conto de fadas cibernético, o gigante colorido de antena cor-de-rosa anseia por adentrar ao mundo azul. A única barreira é um finíssimo véu que baila com a brisa. Porém, do melancólico olhar gigante, de coração agarrado à liberdade, sob a vigilância de um pequeno capetinha à entrada, rola uma lágrima sanguínea… Ele está preso por uma pequena coleira mundana! Não percebe que na sua colorida existência está a força de astros, luzes e outras existências aladas, além de seu desconfiado, destemido e pequenino felino amigo.”

Texto: Marcia Ulls

Gravura Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *