Sol Violeta

Fotografia de autoria de Fernando Gomes Gonçalves [Maragataba] ©Todos os direitos reservados

O que diria se fosse ouvido?
O que ouviria se fosse verdade?
Ocaso vem como bênção
Quando manhã de dúvida
De sonhos enlameados
E portas entreabertas
Prometem manifesto intransigente
Permeando toda leveza
Ocultando toda sapiência
Lá fora a natureza baila
Entre carros, gritos e grades
Lá, mais adiante
Ouve-se um berro alegre
Gargalhadas extasiantes
Olhos nos olhos, verdades
Lá, mais adiante
Há leite, mel e outras doçuras
Estendo a mão: – Vem!
Vamos fazer o mundo rir
Vamos arrumar a vida da casa
Que tal um céu cor-de-rosa?
A grama pode ser azul?
O sol violeta, nuvens amarelinhas
Troncos vermelhos e folhas branquinhas
Silêncios… Tenebrosos silêncios
Falo! Não ouço minha própria voz
Não há ouvido que chegue
Pra tanta palavra vã
Ah… como ouviria
Se fosse verdade!
Ah… como diria
Se fosse ouvido!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *